Contratação de Software Baseada em Resultados

 

  

A Análise de Pontos de Função (APF) viabiliza a gerência dos recursos de TI no sentido da entregar os seus objetivos por meio da introdução de uma unidade de produto passível de ser medida e auditada em uma perspectiva de negócio e, ainda assim, representativa dos resultados dos processos de desenvolvimento e manutenção de sistemas.

 

Nosso serviço define novos padrões de aquisição, baseados em padrões internacionais de mercado, monitorados por meio de acordos de nível de serviço e que permitam decisões administrativas, comerciais e técnicas alinhadas com as politicas na esfera da governança corporativa e nos níveis adequados de gestão.Esteja alinhado com os objetivos de controle do COBIT 5 e da IN04-2014.

 

Ao usar a APF na medição de contratos junto às fábricas de software ou consultorias que atuam nesses segmentos, é possível estabelecer e controlar padrões de aquisição, acordos de nível de serviço e políticas de avaliação nos níveis adequados de governança. Como consequência, há uma tendência nessas funções para:

 

  • Melhor relação custo-benefício nos contratos e, com isso, uma maior contribuição à rentabilidade do negócio;
  • Maior transparência e entendimento dos custos, benefícios, estratégia, políticas e níveis de serviço;
  • Entrega de projetos no prazo e orçamento, atendendo os requisitos de qualidade.

 

O governo brasileiro, assim como empresas dos mais diversos segmentos (ex.: bancos, seguradoras, administradoras de cartão de crédito, telefonia, companhias aéreas) tem utilizado a APF como meio para medir os resultados entregues por demandas e projetos de desenvolvimento e manutenção de sistemas principalmente, mas não exclusivamente, para fins de medição de contratos.

 

Especificamente na esfera da administração pública federal, a busca por observar a IN04 da Secretaria de Logística e Tecnologia (SLTI) do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão promove a fixação de procedimentos e de critérios de mensuração dos serviços prestados incluindo métricas, indicadores e valores. O Tribunal de Contas da União (TCU) cita especificamente a APF em seus acórdãos:

 

item 9.4.1.1, TC-006.030/2007-4, Acórdão n° 1.999/2007-TCU-Plenário

item 9.2.2.2, TC-019.998/2007-7, Acórdão n° 2.024/2007-TCU-Plenário

 

Este serviço em APF visa facilitar a transição de modelos de contratação onde o preço é determinado, direta ou indiretamente, a partir de uma perspectiva interna ao processo produtivo (geralmente apropriação de horas) para outro onde ele é determinado com base nos resultados esperados em termos significativos para o usuário, estando alinhada ao proposto em modelos de governança de TI como o COBIT e modelos de maturidade como o CMMI e MPS.br.

 

 

Para mais detalhes sobre porque isso é importante, verifique a descrição do serviço a seguir:

 

Motivação

 

Fruto da experiência acumulada apoiando organizações na aplicação da APF em seus negócios desde 1998, a FATTO desenvolveu este serviço de transição para a gestão da contratação de software numa perspectiva externa ao trabalho de desenvolvimento e manutenção de sistemas.

 

O que viabiliza essa perspectiva é a medição dos resultados do trabalho de acordo com a visão do usuário e das funcionalidades entregues a ele; em contraste com uma perspectiva da fábrica de software ou consultoria e dos componentes técnicos que suportam essas funcionalidades.

Com nossa contratação, sua organização viabiliza a gestão da contratação de serviços de desenvolvimento e manutenção de sistemas a partir de políticas quanto a metas de prazo, qualidade e produtividade definidas nas esferas mais altas de governança corporativa enquanto na operação do contrato se acompanha o cumprimento dessas metas.

 

A gestão em uma perspectiva interna ao processo produtivo é baseada na apropriação de horas, estimativas diretas de esforço ou a partir da complexidade de módulo; todos sob o domínio da contratada, enquanto a gestão em uma perspectiva externa é baseada em métricas sob o domínio do cliente.

 

:: Perspectiva Interna à Produção de Software ::

 

 

Os preços de projetos e demandas determinados com base em estimativa direta de horas ou a sua derivação a partir da quantidade e complexidade de módulos são exemplos de perspectiva interna ao processo produtivo.

Esse tipo de abordagem:

 

a) Consome muita energia em negociação;

b) Inviabiliza benchmarking;

c) Dificulta a contestação; e

d) Requer que o cliente tenha qualificações técnicas iguais ou superiores à contratada para funcionar.

 

Em termos práticos, no novo modelo a quantidade de horas em estimativas diretas torna-se irrelevante. De maneira análoga, a quantidade de horas estimada em função da quantidade e complexidade de módulos também se torna irrelevante.

 

Em ambos os casos, não há medição em contrapartida a estimativa porque o trabalho não é feito sob supervisão do cliente; adicionalmente, ambos os modelos estão no domínio técnico. A contratada pode estimar quantas horas forem necessárias ou identificar quantos módulos sejam necessários para que o valor da estimativa se equipare ao que ela julga justo receber pelo seu trabalho considerando os lucros que, imagina, vai propiciar ao negócio ao invés de seus custos e lucro.

 

:: Perspectiva Externa à Produção de Software - Visão do Usuário ::

 

Modelos baseados nos resultados entregues em termos significativos para o usuário não entram no mérito do esforço investido na entrega de funcionalidades em demandas individuais; consideram um preço médio do ponto de função a partir de relações estatísticas.

 

Esse tipo de modelo introduz unidades de produto, representativas dos bônus recebidos com um projeto de desenvolvimento ou melhoria pelos seus usuários, e que permitem segregar de maneira objetiva os riscos de responsabilidade:

 

a) Do cliente e relativos ao escopo expresso em pontos de função; e

 

b) Da contratada e relativos à produtividade e qualidade expressos em horas, reais ou defeitos por ponto de função.

 

 

 

Objetivos

 

Facilitar a transição de um modelo de negócio junto a fábricas de software ou consultorias baseado em estimativas numa perspectiva interna ao processo de desenvolvimento (técnico) para um novo modelo onde o foco é na medição e remuneração a partir das funcionalidades entregues e passíveis de contestação e aprovação pelos usuários.

 

"O projeto consome tantas horas e tanto dinheiro porque envolve muito trabalho nos bitstuffs, a equipe é sênior e vamos precisar de 15% de gerência de projetos."

 

Criar as condições para metrificação da produção de software em pontos de função a partir dos requisitos que caracterizam a solução funcionando dentro de parâmetros exigidos em contrato; com base nisso, aferir preços ou estimativas de esforço de demandas usando modelos de custeio ($/PF ou Hh/PF).

 

Tais funções do usuário estão incluídas no projeto e estimadas em 300 PF. Metas:

 

Produtividade: 8 HH/PF

Qualidade: 0,3 Defeitos/PF

Prazo: 5½ meses para entre 200 e 300 PF

 

O que é a Solução Funcionando

 

Os Pontos de Função capturam em termos quantitativos os requisitos funcionais da solução (funcionando ou conforme os diferentes níveis de informação ao longo do seu ciclo de vida).

 

O que são os Parâmetros Exigidos

 

Atendimento de Requisitos não Funcionais


Alcance do trabalho em termos de disciplinas ou fases e níveis de serviço


Quantidade e Qualidade de Artefatos

 

Benefícios

 

Brindamos a sua organização o controle "de facto" na contratação de serviços de desenvolvimento e manutenção de sistemas. Como consequência, há uma tendência para a diminuir custos com Outsourcing e o aumento da qualidade dos produtos entregues e do processo orçamentário.

 


A transição proposta tem impacto nos seguintes aspectos na gestão:

 

 

Preço da Demanda: Negociação x Medição

 

Negociação de preço unitário, metas de qualidade e prazo no plano da administração do contrato e aplicação dos mesmos no plano da operação

 

Viabilização de estimativas do escopo em momentos preliminares, com base nas funcionalidades previstas (ou parte delas) e independentemente do projeto da solução proposta

 

Medição das demandas entregues viabilizando prever contingência os riscos advindos do nível de informação entre momentos preliminares e a entrega final da solução proposta

 

Contestação de estimativas: Função do negócio x Função da Implementação

 

A divisão do trabalho cria funções, processos as juntam em direção aos objetivos do negócio

 

Contestação por parte do cliente a partir da sua visão da divisão do trabalho sendo abordado pela solução proposta em funções e de sua integração por processos em direção aos objetivos de negócio, não com base em aspectos técnicos

 

Avaliação de Desempenho: Bechmarking x Avaliação subjetiva

 

Avaliação do desempenho da organização e da contratada em relação às referências de mercado como o Gartner Group ou International Software Benchmarking Standards Group (ISBSG)

 

Ofensores de Produtividade: Abordagem Sistemática x Empírica

 

Sistematização da identificação, promoção iniciativas de melhoria e avaliação de impacto em ofensores de produtividade

 

Trazemos para o cliente o controle no relacionamento com fornecedores de serviços de desenvolvimento e manutenção de sistemas; e para o fornecedor o controle no orçamento com transparência das propostas, a partir dos requisitos (sem os custos para descobrir detalhes de design ou implementação).

 

Plano de Trabalho

 

A metodologia da FATTO para facilitar esse processo de transição consolida as melhores práticas desenvolvidas a partir da integração dos principais modelos de referência:
 

Área de Processo de Medição e Análise do CMMI

Practical Software Measurement (PSM)

Constructive Cost Model II (COCOMO II)

 

Na fase de Definição e Planejamento das Oportunidades de Melhoria na Precificação, consultores experientes da FATTO desenham numa estreita colaboração com sua equipe uma estratégia específica para sua organização com um plano de trabalho elaborado a partir da metodologia resumida a seguir e observando a cultura, valores e particularidades de sua organização.


 

 

 

 

.

 

.